Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Sou doente renal

O meu nome é Fernando, este blog é um pouco da minha experiência pessoal em Dialise Peritoneal e Hemodialise. Facebook Grupo DOENTE RENAL & Paciente Renal. O meu email é Fernandoneto67@sapo.

Sou doente renal

O meu nome é Fernando, este blog é um pouco da minha experiência pessoal em Dialise Peritoneal e Hemodialise. Facebook Grupo DOENTE RENAL & Paciente Renal. O meu email é Fernandoneto67@sapo.

24
Jul10

Superar o Medo de Voar

Fernando Neto

 

Viagem de férias – Portugal -  Faro, Inglaterra – Stanstead.

 

Depois de ter descoberto o segredo da “amarguinha”, (o tal ansiolítico, diazepam, segundo alguém que teve a gentileza de me explicar, que foi o sr. Miguel Salazar (Cirurgião Vascular).

Este comprimido que foi me dado quando entrei um pouco em pânico no início de fazer a operação para a fistula e fiquei muito admirado com os resultados, agora já ninguém me pára, amarguinha para aqui amarguinha para ali! A minha vida está resolvida. lol

 

Não levem isto a sério pois estes comprimidos têm vários efeitos secundários e disseram-me que se pode ficar viciado se os tomarmos com muita frequência e por uma longa duração. Por isso recomendo que sejam tomados só em caso de necessidade, aliás só os conseguem obter (legalmente) através de receita médica.

 

O médico recomendou-me a tomar os comprimidos com um certo tempo de antecedência da entrada para o avião, mas não muito cedo pois derivado ao efeito sonolento, podia dar-me pancada para dormir e eles não me deixariam entrar no avião naquele estado.

 

Ao entrar no aeroporto comecei a ficar um pouco nervoso, mas fiz o check-in e lá entramos, para o air-side.

O meu sistema nervoso só piorou quando me chamaram para entrar no avião e ai tive que tomar mais uma metade, até agora vou só num comprimido inteiro.

 

Eu já tinha preparado 4 metades e o máximo que se pode tomar são 6 comprimidos de uma só vez se não estou enganado! Depois fiquei um pouco nervoso na fila dentro do corredor para entrar para dentro do avião e lá foi mais outra metade, (um comprimido e meio). Finalmente as ondas de pânico vieram á superfície quando o avião começou a andar, esta parte aqui já eu estava à espera, foi quando entrei em pânico na ultima vez.

 

Então tomei mais uma metade, (dois comprimidos) e foi o suficiente. Fiquei bem, fiz a viagem bem, um pouco nervoso mas não com medo e apesar dos comprimidos darem sono eu estive acordado até bem tarde nessa noite, acho que o sistema nervoso superou os efeitos secundários do medicamento.

11
Jul10

Medo de Voar de Avião

Fernando Neto

Fobia -  Voar de Avião

 

A última vez que eu entrei num avião já foi há mais ou menos 3 anos atrás.

Até essa altura nunca tive problemas nenhuns de voar ou fobia nenhuma que eu me tivesse apercebido!

Mas desta vez a coisa foi diferente. Ofereceram-me como presente de anos, meus e da esposa dois bilhetes para ir ver os Police actuar ao vivo no estádio de Twickenham.

 

Duas passagens de avião e estada no hotel de 4 estrelas em Richmond. Com isto tudo pago só faltava o mais fácil, reservar os dias de férias e entrar no avião.

 

O entrar no avião, isso eu consegui, mas como a minha saúde naquela altura não estava muito boa (o tratamento não andava a funcionar muito bem), para além disso houve uns problemas com os bilhetes e tive que andar a correr de um lado para o outro dentro do aeroporto de Faro e a correr fui para o avião.

 

Estava um dia de calor, saúde a 50% dentro do meu normal e quando parei das correrias estava sentado no avião. Foi aí que os calores começaram a subir, eu a sentir-me muito quente e comecei a sentir-me mal e cheio de calor, mesmo depois de ter despejado um garrafa de água fria sobre a cabeça, mas mesmo assim não serviu de nada! Tentei me distrair a ver se lia a revista que tinha comigo, ainda tentei concentrar-me no traseiro da bonita hospedeira, mas não serviu de nada, o caso estava mesmo MAL!!!

 

Quando começo a ver o avião a movimentar-se comecei a fazer as contas das 2 horas e 30 que iria ter que ficar ali dentro, com aquele calor, sem poder me mexer daquele banco, ainda pensei que poderia ir à casa de banho e jogar água fria para cima da cabeça para refrescar as ideias, mas depois pensei no espaço reduzido que as casa de banho dos aviões têm e a ideia não ajudou !!  – a resposta vinda do cérebro foi que NÂO, não iria dar para estar ali! Tens que sair, E È AGORA!!!!

 

Chamei a hospedeira e ela ainda tentou ver se me dava a volta, a falar muito calma e docemente, mas a coitada nunca iria ter hipóteses nenhumas disso, pois eu disse-lhe – Olhe, essa conversa é muito bonita mas o avião CONTINUA a deslocar-se para a pista!!!

O piloto foi informado e o avião lá teve que parar, trazer as escadas e tirar a bagagem e a máquina de diálise peritoneal. Eu saí do avião em lágrimas e a pedir desculpa aos outros passageiros, os nervos já me tinha dominado completamente.

 

No fim das contas fui de carro para Inglaterra, mas apanhei um susto tão grande no avião que até de carro não foi fácil viajar e nem no barco para atravessar o canal da Mancha,

 

Depois daquela viagem toda atravessando a Espanha e a França toda, chego a Calais e começo a olhar para aquele barco da travessia, mais os 60 minutos para chegar ao outro lado e as ondas de pânico subiram à superfície. A Carla nesta altura disse-me que eu iria entrar naquele barco ou a bem ou a mal!  Lol

 

Mas com a determinação da esposa e um pouco de força de vontade, consegui!

Foram boas as férias e para cá não foi tudo a 100% mas já foi mais fácil