Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sou doente renal

O meu nome é Fernando, este blog é um pouco da minha experiência pessoal em Dialise Peritoneal e Hemodialise. Facebook Grupo DOENTE RENAL & Paciente Renal. O meu email é Fernandoneto67@sapo.

Sou doente renal

O meu nome é Fernando, este blog é um pouco da minha experiência pessoal em Dialise Peritoneal e Hemodialise. Facebook Grupo DOENTE RENAL & Paciente Renal. O meu email é Fernandoneto67@sapo.

24
Nov11

Transplante Renal Não Funcionou

Fernando Neto

Um Bom Dia para todos!

 

Tenho andando muito ocupado a tentar responder aos comentários aqui no blog! Peço desculpa a algumas pessoas por ter levado tanto tempo para responder. Em algumas situações nem tinha reparado que alguém tinha colocado um comentário e por isso só respondi agora. Eu fico sempre muito contente quando as pessoas se dão ao trabalho de escrever umas palavrinhas, por isso o mínimo que eu posso fazer é responder e agradecer!

 

Quero agradecer a todos pelo apoio e energia positiva. Nestas situações tudo e todos nos ajuda para podermos andar para a frente, OBRIGADO!

 

Como viram pelo titulo do post, eu não tive muita sorte com o transplante. Não era para ser desta vez! Então considerei esta confusão (é a melhor forma que eu consigo neste momento dar um titulo a esta ultima aventura), como eu dizia, considerei esta confusão como um treino de preparação para o teste real!

 

Resumindo a história, eu fui transplantado no Domingo dia 6 de Novembro de 2011, a operação começou por volta das 10 horas da manhã. Na segunda os médicos viram que as coisas não estavam a correr bem pois eu não estava a urinar nada e na Terça voltei à cirurgia para retirarem o rim. Fiquei uma semana no hospital de S. João no Porto e deram-me alta no domingo seguinte.

Voltei para a minha vida normal e Segunda estava no hospital de Faro para fazer as minhas quatro horas de hemodiálise normal!

 

Sobre o transplante:

Existiram dois problemas, um era que a veia do rim para transplantar era muito curta, o que tornou a operação mais difícil e o segundo problema era que as paredes das minhas veias formavam uma forma de pinça e apertavam a veia do rim e não deixavam o sangue circular. O coitado do rim não teve hipóteses de poder funcionar sem o fornecimento de sangue. Mesmo nesta situação, foi melhor que o rim fosse retirado o mais rápido possível para evitar complicações, já que não ia funcionar é melhor ficar a saber e ser retirado o mais rápido possível.

O mais chato disto tudo é que uma pessoa passa por isto tudo, a primeira cirurgia, o cateter no pescoço, o tubo de drenagem na barriga, os efeitos da anestesia geral, a porcaria da algália (para mim o pior), uma segunda cirurgia no dia seguinte, mais anestesia geral, apesar desta segunda vez não sei explicar bem porquê mas saí da sala de recuperação bem desperto e a funcionar espectacularmente, o facto de estarmos bem longe de casa num hospital que desconhecemos, as dores típicas da cicatrização da costura e dos agrafos, não podermos rir, sentar, tossir, não ser fácil ir à casa de banho e o pior era se precisa-se de vomitar. Algumas destas coisas melhoraram depois do segundo dia, em que os médicos querem que comecemos a andar e a movimentar um pouquinho para não criar problemas nas pernas.

 

O chato é que depois desta confusão toda, estou hoje exactamente na mesma situação e ainda não tirei os agrafos todos pois apareceu por aqui uma pequena complicação com a cicatriz. Criei na barriga excesso de liquido mas parece que é normal e até agora não há sinais de infecção.

 

Continuo na lista de espera, os médicos dizem que continuo a ser um bom candidato. Agora é esperar e vamos ver o que é que o futuro nos trás!

 

Psicologicamente:

Para começar posso dizer que não é fácil. Depois da euforia toda, da imaginação sobre a possibilidade da nova vida, o facto de não precisar de perder 9 horas por dia, 3 vezes por semana para fazer hemodiálise, ser transplantado, dois dias depois des-transplantado (não sei se esta palavra existe), e agora é conseguir digerir esta situação toda!!

 

Eu já sabia que o transplante nem sempre é a solução ou pode ser a solução mas não sabemos por quanto tempo. Uns têm a sorte de viverem com o rim transplantado por 18 ou 20 anos ou talvez mais, para outros não é bem assim! Por isso eu ao saber esta informação encarei o transplante como uma possibilidade de poder entrar num novo jogo, com uma vida melhor. Mas como tudo na vida nunca sabemos por quanto tempoas coisas vão durar. Eu até agora tenho lidado com esta situação muito bem e sinceramente até estou um pouco surpreso comigo próprio, de como eu estou a conseguir lidar com isto tudo de uma forma muito positiva ao mesmo tempo fico preocupado quando as coisas correm tão bem no campo psicológico. Fica sempre um receio de que talvez mais tarde me caia tudo em cima e eu vou abaixo, mas acho que não!

- pronto! não era para ser desta vez! não estava destinado para mim... talvez para a proxima terei mais sorte!

 

Sempre estive preocupado sobre a reacção das pessoas quando recebiam um rim e após certo e determinado tempo o rim deixava de funcionar! A minha pergunta é sempre a mesma: - como é que se recupera mentalmente de uma situação destas?

Há muita gente que já passou por isto, eu ainda não!

 

Isto deve ter sido uma experiência que precisava para ter assunto de falar no blog!  lol

 

Desejo a todos muita sorte na vida,  muita força de vontade para seguir em frente, muitos amigos e pessoas que ofereçam apoio, sozinhos é muito  mais difícil!

 

Obrigado a todos pela vossa ajuda! Ajudou e continua a ajudar-me!

 

Um Bom Dia!

 

Fernando

33 comentários

Comentar post

Pág. 1/3